A nova plataforma de pagamentos de boletos começa a valer a partir da próxima segunda-feira (10) em todo o país. Para o tocantinense, a mudança vai ser benéfica e facilitará o pagamento de contas vencidas. O sistema atual funciona há mais de 20 anos.

O engenheiro agrônomo Edivaldo Soares foi até uma casa lotérica neste sábado para pagar dois boletos, mas só conseguiu fazer o pagamento de um documento. O outro estava atrasado e só poderia ser pago na agência que emitiu a cobrança. “É mais complicado porque se eu iria pagar os dois, vou ter que pagar um aqui e terei que pagar o outro na agência. Se eu pudesse pagar os dois aqui seria mais interessante”.

Mas a partir de segunda-feira, essa forma de pagamento vai mudar. O consumidor poderá pagar um boleto vencido em qualquer agência bancária, por exemplo. Os juros e a multa serão calculados automaticamente.

“Quando o boleto vencido não era mais possível pagar, você entrava nos aplicativos e emitia uma segunda via. Isso causava a possibilidade de fraudes. Agora não há necessidade. A própria plataforma vai calcular os juros e a multa e o consumidor poderá utilizar esse mesmo boleto para efetuar o pagamento”, explicou a técnica do Procon, Liliane de Moura. Essa regra não valerá para pagamentos de tributos, como IPTU ou IPVA.

A novidade começa a valer a partir desse mês para boletos de valores iguais ou acima de R$ 50 mil. Ao longo dos meses seguintes, o valor dos boletos vai diminuindo até o término da implantação, cujo prazo segue inalterado: dezembro de 2017, conforme cronograma abaixo:

  • Maior ou igual a R$ 50.000 – começa a valer a partir de 10/07
  • R$ 49.999,99 até R$ 2.000,00 – valerá a partir de 11/09
  • R$ 1.999,99 até R$ 500,00 – valerá a partir de 09/10
  • R$ 499,99 até R$ 200,00 – valerá a partir de 13/11
  • Abaixo de R$ 200,00 – valerá a partir de 11/12

As novas regras devem facilitar a vida do tocantinse que tem uma rotina corrida. “Facilita para nós. Tudo o que precisamos é de facilidade”, comemorou o pedreiro Manoel Soares.

Saiba mais

Com a mudança, além do pagamento após vencimento em qualquer agência bancária participante, a nova plataforma permitirá a identificação do CPF do pagador, facilitando o rastreamento de pagamentos.

Quando o consumidor fizer o pagamento, será feita uma consulta à nova plataforma para checar as informações. Se os dados do boleto coincidirem com aqueles que constam no sistema a ser implantado, a operação é validada.

Se houver divergência de informações, o pagamento do boleto não será autorizado e o consumidor poderá realizar o pagamento exclusivamente no banco que emitiu a cobrança, uma vez que essa instituição terá condições de fazer as checagens necessárias.

No modelo atual, isso não ocorre porque nem todos os boletos são registrados em uma base centralizada. Por isso, os emissores dos boletos deverão registrá-los no seu banco de relacionamento, com as informações necessárias.

Todos os boletos enviados aos consumidores devem conter necessariamente o nome e o CPF do pagador, como determina o Banco Central, além de data de vencimento e valor do pagamento e autorização do cliente para que enviem a cobrança à residência.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA