Bebê cai e se fere no DF ao nascer quando a mãe caminhava para parto

0
27

Um bebê caiu no chão e se feriu ao nascer quando a mãe caminhava até a sala de parto no Hospital Regional de Ceilândia, no Distrito Federal. A criança machucou a testa, a cintura e as nádegas e ainda apresentava as marcas da queda nesta segunda (25), uma semana após o nascimento.

Tio da recém-nascida, o aposentado João Moraes afirma que a família deve registrar queixa na ouvidoria da Secretaria de Saúde e na Polícia Civil. Segundo ele, a mãe da criança está abalada e prefere não falar sobre o assunto. Os familiares tinham o intuito de fazer exames nesta segunda para descartar a possibilidade de sequelas.

“A bolsa estourou no dia 17, aí a Elzilene [mãe] foi para o hospital, ficou internada para ganhar o neném. A gente ligava, ligava e nada de informações. O bebê nasceu no dia 18, a gente foi lá e não conseguiu visitar. Diziam que estava sem vaga no berçário, que estava em uma ala impedida, mas acho que não queriam nos contar do acidente”, diz Moraes.

A bolsa estourou no dia 17, aí a Elzilene [mãe] foi para o hospital, ficou internada para ganhar o neném. A gente ligava, ligava, e nada de informações. O bebê nasceu no dia 18, a gente foi lá e não conseguiu visitar. Diziam que estava sem vaga no berçário, que estava em uma ala impedida, mas acho que não queriam nos contar do acidente”
João Moraes,
tio da criança

Em nota ao G1, a Superintendência de Saúde Oeste (responsável pelo hospital) confirmou a queda do bebê, mas disse que não houve trauma ou dano permanente à criança. Segundo o órgão, a mãe tinha apenas 4 centímetros de dilatação, mas passou por uma “rápida evolução” e não conseguiu chegar ao box de parto a tempo do procedimento.

Segundo a direção do hospital, essa mudança repentina é comum em pacientes que já tiveram outras gestações – a menina, que recebeu o nome de Isadora, é a quarta filha de Elzilene. O HRC diz que a mãe e a criança foram avaliadas e ficaram em “rigorosa observação da equipe de enfermagem”.

O hospital diz ter dado “toda a assistência à mãe e ao bebê” e declara que as visitas foram impedidas nos dias 17 e 18 porque Elzilene estava no centro obstétrico, onde o acesso é restrito. Até as 14h desta segunda, a direção não registrava nenhuma reclamação formal sobre o caso, via ouvidoria ou relato de parentes.

Relatório na caderneta do bebê informa queda, realização de raio-x e estado de saúde: 'mamando bem', diz pediatra (Foto: Arquivo pessoal)
Relatório na caderneta do bebê informa queda, realização de raio-x e estado de saúde: ‘mamando bem’, diz pediatra 

Sem informações
A equipe médica do hospital afirma que orientou a mãe sobre os cuidados a serem tomados após a alta médica, na quarta (20). O cunhado de Elzilene contesta e afirma que a mulher, com pouco estudo, ficou sem saber como tratar da própria filha.

“Ela é muito simples, veio de um distrito no interior de Minas Gerais justamente em busca de estrutura para ter a filha. Se a gente soubesse desse caos, talvez fosse melhor ela ter ficado no hospitalzinho lá na cidade mesmo. Como a gente foi impedido de acompanhar, ela ficou mal orientada, sem saber o que fazer”, diz Moraes.

No prontuário obtido pela família e enviado ao G1, a pediatra afirma que a recém-nascida apresentava inchaço na região frontal da cabeça e tinha um ultrassom agendado para a sexta passada (22). As informações são descritas em linguagem técnica – “cefalohematoma na região parietal” e “US transfontanela”, respectivamente.

Bebê que caiu durante parto no Hospital de Ceilândia, no DF, ainda apresentava hematomas nesta segunda (25), com uma semana de vida (Foto: Arquivo pessoal)
Bebê que caiu durante parto no Hospital de Ceilândia, no DF, ainda apresentava hematomas nesta segunda (25), com uma semana de vida 

saiba mais

Fonte: G1

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA