‘Não há indícios da participação de ex no sumiço de Laura’, diz polícia

0
14

Homem é ex-namorado da mãe de Laura e prestou depoimento nesta terça.
Menina, de 9 anos, mora em Palmas e está desaparecida há 10 dias.

O ex-namorado de Sione Pereira de Oliveira, mãe de Laura Vitória, de 9 anos, foi ouvido na tarde desta terça-feira (19) em Palmas. A menina está desaparecida desde o dia 9 deste mês. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o delegado responsável pelo caso afirmou que não há indícios concretos do envolvimento do ex-namorado no sumiço da criança.

Em entrevista à TV Anhanguera, Sione falou sobre o sumiço da filha e disse que se sente julgada e que desconfia do ex-namorado. “Ninguém sabe o que estou passando.” (Veja o vídeo).

Também nesta terça-feira, fios de cabelo da mãe de Laura foram coletados. O material será utilizado para exames toxicológicos, com o objetivo de detectar se a mulher é usuária de drogas.

O exame que será feito com os fios de cabelo tem potencial para detectar a presença de diversas substâncias toxicológicas no organismo humano, “com muito mais exatidão e por um período entre um mês até um ano, haja vista o cabelo crescer um centímetro por mês.”

Entre as substâncias que esse tipo de análise pode detectar estão: anfetaminas, benzodiazepínicos, maconha, cocaína, crack e merla. O consumo de metanfetaminas, exstasy, catinonas, metadona, mefredona, hipnóticos, sedativos, opiáceos, opióides, cetamina ou quetamina, LSD, propoxifeno, tramadol e PCP, também pode ser mostrado no exame.

Segundo o superintendente da Polícia Científica, Gilvan Nolêto, “o fato de se coletar amostras biológicas da mãe da criança, não significa que ela esteja sendo acusada do desaparecimento e sim, para buscar o máximo de respostas que possam melhor nortear as investigações.”

Entenda
A menina Laura Vitória, de 9 anos, saiu de casa por volta das 10h30 de sábado (9) para ir a um supermercado e desapareceu. Ela mora com a avó na região sul da capital. As imagens das câmeras de segurança do estabelecimento mostram quando a menina entra no local. Ela fica por alguns minutos e depois sai com uma sacola na mão. Depois, ela não foi mais vista.

O exame toxicológico foi requisitado pelo delegado João Sérgio Vasconcelos Kenupp, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pelas investigações.

saiba mais

Fonte: G1

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA