Nova tecnologia Wi-Fi transmite energia e sinal de internet de um único roteador

0
37

Uma equipe de engenheiros da Universidade de Washington, nos EUA, afirma ter desenvolvido um novo sistema, chamado Power Over Wi-Fi (PoWiFi), podendo alimentar dispositivos por uma rede sem fio, usando a energia de sinais Wi-Fi.

“Pela primeira vez, nós mostramos que você pode usar dispositivos Wi-Fi para ligar os sensores em câmeras e outros dispositivos”, disse Vamsi Talla, engenheiro elétrico e principal autor do estudo. “Nós também fizemos um sistema que pode funcionar como um roteador Wi-Fi e uma fonte de energia, sem degradar a qualidade dos sinais enquanto está alimentando dispositivos”, acrescentou.

O sistema, que foi anunciado pela primeira vez pelos pesquisadores no início do ano, está previsto para ser apresentado em um documento final no próximo mês, na conferência da Association for Computing Machinery’s CoNEXT 2015, na Alemanha.

Embora a ideia da eletricidade fluir sem a necessidade fios pareça improvável e perigosa, as quantidades mínimas de corrente geradas pelo PoWiFi não oferecem riscos. Elas poderiam atender às necessidades de sensores de baixa potência em pequenos dispositivos, como câmeras e rastreadores fitness, mas não aparelhos como smartphones e outros que exigem mais energia.

No desenvolvimento do PoWiFi, os pesquisadores descobriram que a energia contida no pico de sinais de Wi-Fi regulares é suficiente para carregar ou executar esses tipos de dispositivos de baixa potência, mas devido à forma como os sinais são enviados de forma intermitente, o vazamento de energia ocorre de forma inevitável. Ao otimizar um roteador para enviar dados de energia adicionais pelos canais Wi-Fi e integrar sensores para dispositivos de baixa potência, a equipe foi capaz de tornar o sinal forte e consistente, fornecendo energia de forma eficaz.

No teste, os pesquisadores mostraram que PoWiFi distribui carga suficiente para executar, sem a necessidade de fios, uma câmera VGA de baixa potência, a mais de 5 metros de distância. Ele também recarregou a bateria de uma pulseira eletrônica chamada UP3 (gadget preso à roupa para monitorar atividades físicas), a uma carga de 41% em 2,5 horas.

Além de medir as habilidades de carregamento do sistema, os pesquisadores também testaram oPoWiFi como um simples roteador de internet. Em testes feitos em seis casas, os usuários não notaram diferença em relação ao desempenho habitual, quando se tratava de páginas web ou streaming. “No futuro, PoWiFi poderia alavancar a tecnologia de energia para melhorar ainda mais a eficiência do sistema, permitindo a operação em distâncias maiores e sensores de energia com mais aplicações”, disse Shyam Gollakota, um coautor do estudo.

Fonte: jornalciencia

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA