Polícia faz buscas por homens que fugiram após explodir muralha de presídio em Palmas

Helicóptero da SSP sobrevoa uma área verde perto da unidade para procurar foragidos. Criminosos usaram dinamite para fugir da CPP de Palmas.

0
28

A polícia segue as buscas pelos criminosos que fugiram da Casa de Prisão Provisória de Palmas, na noite deste domingo (5). Segundo a Polícia Militar, 14 foram recapturados e oito estão foragidos. Nesta manhã, o helicóptero da Secretaria de Segurança Pública sobrevoa uma área verde perto da unidade.

A suspeita é que os criminosos escavaram um buraco até chegar no pátio da unidade. Depois, usaram dinamite para explodir uma das muralhas da CPP. Na noite deste domingo, tiros foram disparos de dentro do local.

Há dois meses, durante uma vistoria, foram apreendidos cerca de quatro quilos de explosivos que estavam escondidos dentro das celas. A entrada desse material dentro da unidade está sendo investigada.

A PM informou que o policiamento nas ruas e nas entradas da cidade foi reforçado. Segundo a corporação, alguns militares se voluntariaram para apoiar nas buscas. A PM disse que boatos que surgiram nas redes sociais sobre arrastões no centro de Palmas não são verídicos.

A orientação é que a população evite a região e quem mora nas chácaras próximas que fique dentro de casa. Logo depois da fuga, 10 homens foram contidos pela Polícia Militar momentos após a explosão, os outros 12 saíram pela mata. Outros dois homens foram encontrados no centro da cidade, próximo a Feira do Bosque, na quadra 502 Sul.

Criminosos usaram dinamite para abrir buraco e fugir da Casa de Prisão Provisória de Palmas (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Criminosos usaram dinamite para abrir buraco e fugir da Casa de Prisão Provisória de Palmas (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Superlotação e problemas administrativos

A Casa de Prisão Provisória de Palmas é um dos maiores presídios do Tocantins. Ela tem capacidade para 280 presos e atualmente tem mais de 700 detentos. Em junho, o presídio sofreu uma intervenção parcial em função da superlotação.

Recentemente, o comando da Secretaria de Cidadania e Justiça foi trocado no Tocantins. Ao G1, a antiga responsável pela pasta, Gleidy Braga, afirmou que estava saindo porque discordava do governo a respeito do cumprimento de algumas medidas judiciais relacionadas com a administração da própria CPP e a contratação de funcionários temporários em algumas unidades. O governo do estado anunciou que a pasta ficaria sob o comando do coronel Glauber de Oliveira Santos, que chefiava a Polícia Militar.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA