Sindicato dos professores determina redução de horário de aula no TO

Ação é para cobrar do Governo do Tocantins pagamento de retroativos.
Serão reduzidos 15 minutos de cada hora-aula no período diurno.

O horário de aula nas escolas estaduais deve ser reduzido a partir desta terça-feira (26). O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Tocantins (Sintet) determinou a redução de 15 minutos de casa hora-aula no período diurno e 10 minutos no período noturno. A intenção é cobrar do Estado pagamentos de retroativos.

As Apaes, segundo o Sintet, vão reduzir uma hora no turno. O sindicato informou que os professores querem pressionar o cumprimento de reivindicações antiga, como, retroativo de progressões 2013 e 2014; pagamento do retroativo da data-base 2015, bem como o pagamento das progressões do mesmo ano.

A categoria ainda reivindica o reajuste da educação em 11,36%, com base no custo aluno ano do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb); o realinhamento das tabelas do plano de carreira e equiparação entre Professor Normalista (Prono) e Professor da Educação Básica (Proeb), além de eleição para escolha de diretor de escola.

O presidente do Sintet, José Roque, não soube dizer quantas escolas vão aderir. “A determinação foi feita. É processo, até a próxima sexta-feira teremos uma noção do tamanho do movimento”, explicou.

Ele ainda afirmou que estas reivindicações faziam parte da pauta da greve deflagrada no ano passado pelos professores, mas que o Estado não cumpriu o prometido.

O sindicato disse que na última quarta-feira (20) enviou ofício para o governo oficializando sobre a decisão, mas que não recebeu um retorno.

Resposta
A Secretaria Estadual da Educação informou que a decisão dos professores é incoerente, já que o Estado não terá condições de anteder de imediato às exigências de pagametnos de retroativos, de progressões e até mesmo de conceder aumento salarial.

“A Seduc está articulando com os órgãos citados para estudar o caso e dar uma resposta aos professores, o que depende da capacidade financeira do Estado, informou em nota.

Quanto aos alunos, a secretaria afirmou que é direito estabelecido pela legislação ter as 800 horas/aula e portanto, os professores terão que repor as aulas posteriormente.

Fonte: G1

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA