O Tocantins proibiu a comercialização de um suplemento alimentar para animais que causou embargos à carne brasileira em vários países. A substância em questão, Ractopamina, é geralmente utilizada em suínos para fazer com que a carne fique mais magra. Mais de 50 países já suspenderam importações de carne que tenha sido produzida utilizando o produto.

A principal preocupação é que não há estudos que comprovem a segurança da Ractopamina. O Ministério da Saúde já havia proibido o uso dela na criação de gado, mas o suplemento ainda é usado livremente nos suínos em vários estados. A nova lei foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Tocantins e sancionada pelo governo do estado.

A decisão vem após a Rússia, que é o principal cliente dos produtores do Tocantins, anunciar um embargo ao país em função da substância. A decisão de Moscou afeta 48 frigoríficos brasileiros: 30 de carne bovina e 18 de carne suína. Na lista há quatro empresas instaladas no estado.

Com a nova legislação, os estabelecimentos flagrados vendendo Ractopamina podem ter o registro suspenso e as fazendas onde o uso for comprovado serão interditadas. A fiscalização será responsabilidade da Agência de Defesa Agropecuária, que também fará testes nos animas quando houver suspeita do uso. A medida visa recuperar a confiança do mercado e derrubar as barreiras em vigor para a carne do Tocantins.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA